30 maio 2016

PorTodasElas: Não dói o corpo, dói a alma


     Não estou aqui para repetir o que já foi dito durante toda a semana nas redes sociais e nas midias mas sim para mostrar coisas maravilhosas que graças a esse episódio horrível, ocorreram e estão para ocorrer, esclarecer algumas duvidas e convocar mais mulheres para esta luta.
     O que é "Cultura de Estupro"? Vi que muitas pessoas não concordam com o nome e acham que ele é muito amplo e muito agressivo para tudo isso, que não da para falar que estupro é cultura e tudo mais. E então, pensei que seria bem interessante tentar explicar isso por aqui, antes de pisar no próximo tema do post. Para explicar isso, pesquisei bastante e encontrei uma frase no blog da Georgia Martins Faust que resume bem
"É uma cultura onde a violência sexual é considerada norma – ou seja, onde as pessoas não são ensinadas a não estuprar, mas sim ensinadas a não ser estupradas."
     E no mesmo post do blog da Georgia, ela apresenta fatos e responde a possivel pergunta que me fariam "Mas Bruna, onde que ensinamos as pessoas a estuprarem?", mas darei alguns exemplos aos preguiçosos que não estão afim de clicar no link.


Fonte: Estúdio Miopia
     Começamos lembrando dos "queridos" assédios na rua, onde é tão confortavel para um homem ser invasivo, falar o que nem amigos intimos nos falam. Aprendemos desde sempre que devemos ficar quietas e aceitarmos este "elogio" de cabeça baixa. Para muitos, a transformação desse ato que já é nojento, é amplificado, os assédios na rua, podem muito bem tornarem-se estupros e violência, um sexo que não é desejado, um "elogio" que fere, atos que nem amigos íntimos pensam e novamente, somos ensinadas a baixar a cabeça.
      Quando temos "mulher para casar" logo, já colocamos todas as outras em um nível abaixo. Quem disse, que é necessário ser bela, recatada e do lar? Quem disse que é necessário abaixar sempre a cabeça para poder ser alguém para casar? Colocar todas as outras em um nível inferior, é dizer que todas as outras merecem ser estupradas. Quem disse, que a forma como me visto, é um convite? Quem disse que a forma como me visto, define o meu carater? Quem disse, que a forma como me visto, deve designar se a culpa é minha ou não de ser estuprada?
     Chegamos as piadinhas e quando começamos a problematizar elas, nos tornamos as chatas do role e claro, com certeza é falta de rola, com certeza é mal comida. Quando você ri, de piadas onde as mulheres são estereotipadas, onde as mulheres são as "delicadas", "fracas", "indefesas" e mulheres que "precisam de rola", você está incentivando a cultura do estupro! Estarmos irritadas ou revendo conceitos, não quer dizer que eu esteja precisando que alguém invada meu corpo. Ser "delicada" é um adjetivo que pode ser utilizado para ambos os sexos. Ser "fraco" também é outro que pode ser utilizado para ambos os sexos. E acreditem, "indefeso" é adjetivo que não é determinado para apenas um sexo.
      "Catei a novinha", novinha aqui, novinha ali e é assim que você novamente incentiva o abuso infantil. Ser "novinha" segundo a lei você não esta apta a consentir ou não. Depois dessa idade, a relação sexual é permitida, apenas com um "SIM", é permitida, caso o dono ou dona do corpo aceitem, caso o dono ou a dona do corpo esteja em sã consciência. Oferecer balas, oferecer drogas e alcool fazendo com que a vitima fique fora de si, é estupro.
     Ficar irritadinho, quando uma mulher diz "Não" para você na balada, é incentivar a cultura de estupro.
    Existem muitos outros exemplos (a pirâmide explica bem) e é não querendo fazer parte disto, que nos tornamos tão chatas, tão insuportaveis, mas cada dia mais felizes e com mais força.
    Agora, que já é possivel entender o quão grave é esta cultura do estupro, convido todos e todas a irem aos protestos "Por Todas Elas" que irá ocorrer em várias cidades do Brasil e do mundo.

  • Natal: https://www.facebook.com/events/608194835999050/
  • Belo Horizonte: https://www.facebook.com/events/138262963253635/
  • Porto Alegre: https://www.facebook.com/events/624290217733411/
  • Brasilia: https://www.facebook.com/events/849960691775283/
  • Rio: https://www.facebook.com/events/1752031391678244/
  • Bauru: https://www.facebook.com/events/1609023352722932/
  • Recife: https://www.facebook.com/events/778009899000917/
  • Maringá: https://www.facebook.com/events/1742398605972750/
  • Limeira: https://www.facebook.com/events/1167918193250920/
  • Florianópolis: https://www.facebook.com/events/1036924089734654/
  • Irlanda: https://www.facebook.com/events/814545675312082/
  • São Paulo: https://www.facebook.com/events/231623577219230/


    Eu estarei na de São Paulo, no vão do MASP me juntando as outras vozes e em luto por todo o sangue que já escorreu. Vá você também.

Pensamos em:

  • VELAS: Luto pelas mulheres que já se foram, seja por conta do machismo, seja por conta da luta, a todas as nossas irmãs que se foram. Penso no fogo também como algo que traz força. Quem não levar velas, usar de lanternas ou celulares. 


  • FLORES: Além do luto e do ritual que temos de levar flores aos que se foram, somos sempre lembradas como flores, "mulher é flor", me remete também a mãe-terra.
  • "X" COM BATOM VERMELHO: Representa a mulher que é oprimida, silenciada, diminuída e excluída por ser mulher.
  • ROUPAS PRETAS: Luto.
  • ROUPAS VERMELHAS: Sangue.
  • ROUPAS PRETAS: Paz.
  • "ADJETIVOS" PELO CORPO: "Puta", "Safada", "Gostosa".
  • LÁGRIMA DE TINTA VERMELHA: O sangue que escorre pelo corpo da vitima.
  • JOGRAL: Em um dos eventos, eles deram a sugestão de ao chegarmos na Praça Roosevelt iniciarmos um jogral. 
  • DANÇAR: Quando chegarmos na Praça Roosevelt, dançarmos sem música, dizermos com o corpo e o movimento.
  • CARTAZES: As 14hs no vão do MASP se reunirem para prepararem cartazes, pinturas etc)
  • INSTRUMENTOS DE PERCURSSÃO: Para sermos ouvidas.
  • HASHTAGS/TAGS/PALAVRAS-CHAVE: ‪#‎PorTodasElas‬

Se tiverem mais ideias e sugestões,coloquem nos comentários que vou atualizando as postagens com as sugestões.

6 comentários:

  1. Isso é um absurdo! Ótimo texto

    www.laizfonseca.com

    ResponderExcluir
  2. Eu queria muito ter conseguido ir no protesto! Me senti representada por minha irmã, que mora mais próximo ter conseguido ir!
    ótimo post, vamos à luta por todas nós!
    Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diga a sua irmã que eu enviei um abraço enorme a ela!
      Gratidão ♥
      Vamos a luta!

      Excluir

analyticstracking.php

About Us


Bruna Della, 19, brazilian, drama student, blogger and capricorn. Believe that can change the world with smiles. Blog Cappuccino E Bobagens is a personal space where I can talk about places, products, woman things and projects that help the world. If you have some suggestion, please, send us an e-mail: cappuccinoebobagens@gmail.com Cappuccino E Bobagens // Cappuccino And Stuffs

Recent

recentposts

Random

randomposts